Blog novo no ar…

Todo mundo aqui ja deve ter achado que eu sumi de novo. Mas foi por um bom motivo: comecei um blog novo, chamado The Foreign Architect.

O Notas de Longe sempre foi um incentivo pra documentar minhas viagens. Mas sempre tive vontade extra de fazer algo maior, pro mundo. A ideia do site novo é falar das minha viagens com foco em arquitetura, em ingles, com um toque mais profissional.

Fiquem tranquilos que o The Foreign Architect nao vai substituir o Notas! Vou continuar postanto por aqui pra familia!! Mas agora tem dois pra seguir! :)

Entrem e assinem! Todo suporte é benvindo… E aqui jaja vem post novo!

theforeignarchitect.com

Um dia em Dubai

Na volta do Brasil pra China no ano passado, resolvi prolongar minha escala em Dubai pra finalmente conhecer a cidade. Dubai é um local muito importante para arquitetos e urbanistas, uma cidade que cresceu explosivamente nas ultimas décadas onde tudo é superlativo: o mais rápido, o mais alto, o maior. As obras arquitetônicas de Dubai ja me tiravam o fôlego nas fotos da internet e revistas, e ao vivo foi tudo ainda mais impressionante.

Screen Shot 2017-02-03 at 18.11.37.png
Dubai no mapa

Continue lendo “Um dia em Dubai”

Malasia

No fim do ano passado resolvi fugir do inverno frio e poluído de Beijing e fui pra Malásia, no sudoeste asiático. Além de trocar o frio pelo calor tropical, o ano novo na Malásia prometia ser mais divertido do que em Beijing, onde a solta de fogos de artificio é proibida ano todo com exceção do ano novo chinês. Ou seja, virada sem sal.

Screen Shot 2017-01-23 at 12.36.02.png

A Malasia é um país do Sudeste Asiático que compreende dois territórios distintos: a parte sul da península Malaia e ilhas adjacentes, e uma seção do norte da ilha de Bornéu. Fui nas duas partes: um dia na capital Kuala Lumpur e o resto nas ilhas paradisíacas do estado de Saba, na ilha de Bornéu. Continue lendo “Malasia”

Europa 2009 – Parte 3

A última perna da nossa viagem em 2009: comecando em Strasbourg, de onde pegamos a rota do vinho na Alsácia até Colmar. De lá, voltamos para a Alemanha pelo sul: Freiburg, Lago de Konstanz e Lindau. Depois veio a rota romântica: Füssen e os castelos, subindo pra Rothenburg ob der Taube e Creiglingen, e terminando a viagem com dois dias em Berlin!

Eis o vídeo:

Percebi q na próxima viagem tenho q  fazer mais vídeos :)

Lembram da Franca??

Nessa minha última semana de Brasil, a tia Claudina me pediu para rever a viagem que fizemos em 2009 para Franca e Alemanha. Como nao tinha as fotos em meu laptop, hoje resgatei-as do meu HD e ao revê-las me deu uma saudade. E resolvi fazer algo que já tinha em mente na época em que estava postando as fotos no blog: um vídeo!

É um vídeo meio pra diversao mesmo, pra quem foi dar umas boas risadas e rever alguns lugares. Espero que gostem. Como comecou a ficar muito longe, dividi em partes: Franca 1, Alemanha 1, Franca 2, Alemanha 2. Aqui a primeira parte, Franca 1:

 

 

E que também dê vontade de fazer outra!

Qinghai

No final de Agosto desse ano resolvemos tirar férias depois que terminamos o último concurso, e acabei indo pro lugar mais Oeste que já fui na China: Província de Qinghai (aula de chinês: “q” pronuncia-se “ts”, ou seja, Qinhai fica “tsin-rai”). Qinghai, que fica bem no meio do país, foi só recentemente incluída como uma província da República Popular da China. Uma grande parte da área, historicamente chamada Kokonor, até o início do século XX encontrava-se fora do território do Império Chinês, tendo sido, durante séculos, um caldeirão étnico, misturando influências tibetanas, chinesas (Han), mongóis e turcas. Fica no platô tibetano, ao norte do Tibet.

A província de Qinghai, cuja capital, Xining, fica a cerca de 1300km de Beijing
A província de Qinghai, cuja capital, Xining, fica a cerca de 1300km de Beijing

A capital chama-se Xining, e lá pousamos depois de um pequeno atrase de 4 horas pra decolar, mais umas 3 horas voando. Fomos pela China Southern Airlines, cia. aérea que já utilizei várias vezes, e na qual sempre tive atraso, que variaram de 15 minutos até cancelamento e vôo no dia seguinte. Sem-vergonha. Mas barata!

Chegamos em Xining e de lá saímos de carro e demos a volta no lago de Qinghai, que é o maior da China.
Chegamos em Xining e de lá saímos de carro e demos a volta no lago de Qinghai, que é o maior da China.

Companheiros de viagem foram o Alejandro, meu colega Espanhol que se mudou pra Beijing no comeco de Junho e vai ficar um ano por lá, e um outro Daniel, austríaco, que veio do escritório de Munique e está trabalhando em Shenyang, uma cidade leste de Beijing.

O grupo: eu, o Daniel austríaco e o Alejandro espanhol
O grupo: eu, o Daniel austríaco e o Alejandro espanhol

Dia 1 – Xining à Qilian

mapa_0003_dia1.jpg

Primeiro dia em Xining, logo cedo encontramos nosso motorista e guia de viagem, Mr. Long. Aqui na China é muito comum contratar um motorista em viagens, pois estrangeiros não podem alugar carro por aqui. Para eu poder dirigir na China, teria que tirar uma carta de motorista chinesa e tem comprovante de residência no país. Então acaba sendo mais prático, e muito em conta, contratar um motorista da regiao, que sabe os caminhos, conhece os locais pra dormir e comer, e faz a viagem toda ficar muito mais relax!

Nosso motorista e o carros pra viagem toda. Comunicacao em mímica!
Nosso motorista e o carros pra viagem toda. Comunicacao em mímica!

Nosso primeiro destino da viagem foram as montanhas de Qilian (aula de chinês! “Tsi-lian”), norte de Xining. Saímos de uma altitude de 2200m em Xining, e terminamos em 3600m em Qilian. Sao umas montanhas lindas de cor avermelhada. E o caminho até lá cheio de paisagens deslumbrantes. E a presenca constante do budismo, como as famosas bandeiras de prece tibetanas que adicionam ainda mais cor à paisagem.

Montanhas de Qilian
Montanhas de Qilian

Dia 2 – Lago de Sal de Chakayan

mapa_0000_dia 2.jpg

Dormimos por lá e no segundo dia alcancamos o lago de Qinghai. Mas antes de visitá-lo, fomos até o lago de Chakayan, que é um enorme lago de sal sudoeste do lado de Qinghai. Com mais de 105km2 de área, é um dos maiores produtores de sal na China desde as épocas das dinastias, quando o sal tinha preco de ouro. Paisagens surreais.

O lago de sal Chakayan
O lago de sal Chakayan

Dia 3 – Lago de Qinghai e Guide

mapa_0001_dia 3.jpg

Passamos a noite em um vilarejo às margens do lago de Qinghai, pois o programa do dia seguinte era acordar as 5 da madrugada para ver o nascer do sol no lago. Foi bem bonito, mas a multidao de chineses fazendo a mesma coisa no mesmo lugar meio que tirou o charme da coisa. De dia fomos até a cidade de Guide, e no caminho percorremos todo o lado sul do lago. Demos uma parada rápida, mas estava um friiiiiio.

O vilarejo de Heimaheixiang e os Yaks passando na rua
O vilarejo de Heimaheixiang e os Yaks passando na rua
O lago Qinghai
O lago Qinghai visto da janela do carro

Guide foi a cidade mais bonita (talvez a única cidade bonita?) do passeio. Logo antes de chegar à ela, paramos no Parque Nacional de Guide para ver as incríveis montanhas que rodeiam a cidade, de diversas cores. Muito bonito.

Montanhas do Parque Nacional de Guide
Montanhas do Parque Nacional de Guide

Guide (lê-se güi-dê) foi uma cidade importante durante a dinastia Ming e possui estruturas com mais de 700 anos de idade. É cortada pelo Rio Amarelo, importante rio considerado o berco da civilizacao chinesa.

Cidade de Guide
Cidade de Guide

Dia 4 – Monastério de Kumbum

mapa_0002_dia 4.jpg

Depois de um gostoso fim de tarde seguido e uma comidinha, dia seguinde, último da viagem, pegamos para visitar o Monastério Kumbum, um dos mais importantes pontos de peregrinacao budista na China. Por fim, fizemos um lindo passeio ao longo do Rio Amarelo, antes de voltar pra Xining e pegar o vôo de volta pra casa.

Monastério Kumbum
Monastério Kumbum
O Rio Amarelo
O Rio Amarelo

Foi uma das viagens mais diferentes e interessantes que fiz na China, principalmente por causa das paisagens naturais. Tudo lindo de morrer. Foi bom ver que na China tem parques nacionais lindos e bem cuidados. Vejam mais fotos no álbum abaixo!

Qinghai

 

 

Munique

Estou essa semana em Munique, trabalhando no escritório daqui até sexta-feira. Estamos fazendo um projeto grande pra VW em Beijing, e as primeiras quatro semanas serão feitas aqui, e em seguida vamos pra Beijing pras últimas quatro semanas. Ou seja, volto pra Berlin no fds, faço as malas e só volto pra lá no meio de julho!!

O mais engraçado é q eu vou assistir a copa do mundo na china! Com 11 horas de diferença! Jogo do Brasil dia 12? 4 da manhã na china haha mas vou q vou!! :)

Isa em Berlim

Prometi pro meu pai que ia reanimar e atualizar o blog hoje, pois aqui está!

140124-121704-bln-DSC03503

Pra comecar, as ultimas fotos da viagem da Isa, do período que ficamos em Berlin! Nem vou escrever muito a respeito, mas digo que sempre que vejo as fotos me dá uma saudaaaaade. Quero mais visita!!! :)

Isa em Berlin

Isa no Tirol!

a trupe e a mala. a minha é a pequenininha ali à esquerda...
a trupe e a mala. a minha é a pequenininha ali à esquerda…

Terceira parada da viagem: Tirol! Fomos numa regiao dos alpes chamada Tiroler Zugspitz Arena, famosa pela presenca do Zugspitz, a montanha mais alta da Alemanha, e fica exatamente na fronteira com a Áustria. Além disso há inúmeros vilarejos e regioes de ski, e fomos na torcida de conseguir uma nevezinha nesse inverno meio fajuta…

Fomos de trem de Munique, 2 horas com uma baldeacao em Garmisch-Patenkirche. Chegamos em Bichlbach, o vilarejo austríaco onde ficamos hospedados, e a decepcao: nada de neve… tudo meio marrom e gelado, mas sem neve.

Amanhecendo no primeiro dia! NEVE!!!
Amanhecendo no primeiro dia! NEVE!!!

Mas no dia seguinte, surpresa: acordamos com muita neve, tudo branquinho, q nem no sonho da isa. Passamos o dia num outro vilarejo onde havia uma estacao de ski (Berwang). A Isa nao saiu da neve, fizemos guerrinhas, bonecos de neve, trenó… de tudo um pouco. Muuuito divertido. Mas já de noite, no caminho de volta, ja percebemos q foi uma diversao de um dia so: o tempo aqueceu e toda a neve do dia ja estava derretendo :(

Teleferico que subiu a gente mais de 1000m!
Teleferico que subiu a gente mais de 1000m!

No dia seguinte acordamos com um dia de sol e neve recongelada (leia-se: dura). Pegamos o trem e subimos de teleférico mais de 1000 metros pro topo do Zugspitze, 2950m acima do mar. Lindos panoramas lá de cima, como podem imaginar. E um frio de rachar. Almocamos no topo e pegamos outro teleférico até a base de ski no Zugspitzplatt, que é um pouco mais baixo. Lá eu e a Isa nos aventuramos a descer no trenozinho e quase que nao deu certo… foi um drama, uma aventura, mas muito divertido.

Voltamos de trem subterraneo que cruzava por dentro da montanha. Mas nos levou pro lado errado: paramos na Alemanha! E dá-lhe trem e mais trem pra voltar pra nossa casinha na Áustria!

Hohenschwangau na frente e Neuschwanstein no fundo. agora leiam essa legenda em voz alta ;)
Hohenschwangau na frente e Neuschwanstein no fundo. agora leiam essa legenda em voz alta;)

No quarto dia foi dia de passear no castelo da cinderela. Uma horinha de Bichlbach, de volta pra Alemanha em Füssen, visitamos os dois famosos castelos da cidade: Hohenschwangau, residência do rei Ludwig da Bavária durante sua infância e adolescência; e o Neuschwanstein, castelo que construiu para viver o resto da vida. Diz a lenda que foi a inspiracao de Walt Disney pra o castelo da cinderela. Ótimo passeio.

No último dia no Tirol meio q nao deu nada certo. Subimos numa outra estacao de ski mas lá nao tinha nada pra Isa fazer. Ela tem medo de escolinha de ski, e apesar do lugar ser lindo e cheio de lugares pra gente relaxar e beber uma cervejinha, tivemos q descer logo depois de subir. Tentamos ir num outro lugar, nao deu certo, almocamos muito bem, e terminamos o dia patinando no gelo num outro lugar meio mais ou menos. Mas a Isa adorou mesmo assim.

De volta à pousada, último jantar e malas, pois no dia seguinte ia ser o último trajeto: Tirol > Berlin!

Isa no Tirol